Motorista: tire as suas dúvidas sobre o transporte de cargas perigosas

por | fev 27, 2019 | Cursos Online | 0 Comentários

transporte de cargas perigosas

Os danos por qualquer acidente ou falha no transporte de produtos perigosos são ainda mais sérios se comparados a outros tipos de carga. Por isso, existem normas rígidas para regular essa movimentação.

Quem lida com o trânsito diariamente sabe, mais do que ninguém, como a direção defensiva é importante para garantir o bem estar de motoristas e passageiros. Agora, é bem verdade também que para algumas categorias são necessários alguns cuidados extras, como é o caso do transporte de cargas perigosas.

Transportar essas cargas exige prevenção específica, além do cumprimento de uma série de regras, impostas pela legislação.

Todas essas normas e cuidados podem gerar muitas dúvidas, e é por isso que decidimos levantar este tema por aqui.

Portanto, no artigo de hoje vamos abordar alguns dos pontos mais críticos no transporte de cargas perigosas.

A partir dessa leitura, você vai estar ciente dos conceitos envolvidos e de todos os cuidados que deve adotar para conduzir um veículo sob essa condição. Acompanhe!

Respostas para as dúvidas mais comuns no transporte de cargas perigosas

O transporte de cargas perigosas é submetido às regras e aos procedimentos estabelecidos pelo Regulamento para o Transporte Rodoviário de Produtos Perigosos, pela Resolução ANTT nº. 3665/11 e alterações.

Ainda, é complementado pelas Instruções aprovadas pela Resolução ANTT nº. 5.232/16 e suas alterações, sem prejuízo do disposto nas normas específicas de cada produto.

E é com base nestas normativas que vamos esclarecer alguns dos pontos mais importantes.

#1 O que são cargas perigosas?

Cargas perigosas são todas aquelas que representam algum risco à saúde das pessoas e ao meio ambiente ou ainda, que são capazes de gerar algum dano à estrada e ao veículo.

Nessa realidade, alguns produtos entram nessa lista. São eles:

  • Líquidos inflamáveis
  • Produtos transportados em altas temperaturas
  • Explosivos
  • Gases
  • Sólidos inflamáveis
  • Substâncias oxidantes e peróxidos orgânicos
  • Substâncias tóxicas e substâncias infectantes
  • Substâncias radioativas
  • Corrosivos.

Importante: A classificação de um produto perigoso para o transporte deve ser feita pelo seu fabricante ou expedidor, sempre orientado pelo fabricante.

#2 Quais embalagens devem ser utilizadas neste transporte?

Para o transporte de produto considerado perigoso é preciso tomar alguns cuidados com a embalagem.

Elas precisam ser duradouras e resistentes para suportar os choques e as operações do transporte. E ainda, serem identificadas com relação às características dos produtos, incluindo marcações e símbolos aplicáveis, mas também em termos de volume e cor.

Tudo isso serve para tornar as informações claras e visíveis, fazendo com que as chances de acidentes diminuam.

#3 É possível realizar o transporte conjunto de produtos perigosos e outras mercadorias?

Não! Na Resolução 3665/2011 fica bem claro que o transporte conjunto de produtos perigosos com outras mercadorias ou produtos de uso/consumo humano ou animal é proibido.

Vale destacar também que é expressamente proibido conduzir pessoas neste veículo, além do motorista e do auxiliar.

#4 Existem regras para a circulação para estes caminhões?

Sim, e é o artigo 15 da Resolução 3665/2011 que trata destas questões. O condutor de veículo transportando produtos perigosos deve evitar o uso de vias em áreas densamente povoadas ou de proteção de mananciais, de reservatórios de água ou de reservas florestais e ecológicas, ou que delas sejam próximas.

Para isso, as autoridades de trânsito podem determinar restrições para a circulação, ao longo de toda a via ou em parte dela. Eles devem sinalizar os trechos restritos e assegurar um percurso alternativo. Esses Órgãos podem ainda, estabelecer locais e períodos com restrição para estacionamento, parada, carga e descarga.

Para mais detalhes sobre as restrições municipais ou estaduais, é importante entrar em contato com os órgãos de trânsito locais responsáveis pelos trechos a serem percorridos.

#5 Qualquer motorista pode realizar o transporte de cargas perigosas?

Não, é preciso que o motorista esteja habilitado na categoria correta ( B, C, D ou E) para fazer o transporte de cargas perigosas. Ainda, ter feito curso específico, cujo objetivo é aperfeiçoar, instruir e atualizar condutores, capacitando-os para essa profissão.

Em algumas Instituições, como o ICETRAN, o curso é totalmente online ( ensino à distância). Tem duração de 50 h/aula e conta com um material didático voltado para a atividade.

curso condutores de veículos de transporte de cargas perigosas

#6 Para o caminhão, também existem normas?

Sim, os cuidados com o transporte de cargas perigosas se estende ao veículo.

Primeiro, cada tipo de produto transportado vai exigir um modelo específico de caminhão, assim como do reboque utilizado.

Outro ponto importante está na etiquetagem do caminhão. Essa sinalização deve ser feita por meio dos painéis de segurança afixados na parte externa do veículo, que devem informar a classificação do produto e seus respectivos riscos.

Além disso, é importante destacar a necessidade do caminhão estar em dia com as suas revisões e manutenções periódicas.

Torne o seu trabalho mais responsável e seguro

Esperamos que esse artigo te ajude a lembrar de alguns pontos importantes que devem ser levados em consideração no transporte de cargas perigosas.

Além das questões abordadas, existe uma série de exigências que devem ser cumpridas. Especialmente se tratando da documentação exigida para este tipo de transporte. E também, dos itens obrigatórios que devem ser portados durante o transporte.

Todos esses detalhes, estão disponíveis no site Agência Nacional de Transportes Terrestres – a ANTT – que é quem regula todo o transporte de cargas e produtos tidos como perigosos em rodovias e ferrovias de todo território nacional.

Lembre-se que a sua segurança e a dos demais motoristas é também uma questão de escolha. Afinal, nós somos o trânsito!

Aproveitando o gancho, se você tem dicas que possam contribuir com a segurança no trânsito, deixe o seu comentário abaixo. Gostaríamos muito de ouvir a sua opinião.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *