Trânsito e Carnaval: veja o que é possível fazer para evitar acidentes

por | fev 7, 2018 | Acidentes | 0 Comentários

Trânsito e Carnaval: veja o que é possível fazer para evitar acidentesÁlcool, trânsito e Carnaval podem acabar com qualquer folia. Conheça os impactos e as consequências que essa combinação trágica pode trazer.

“Você pensa que cachaça é água, cachaça não é água não. Cachaça vem do alambique e, a água vem do ribeirão”.

A marchinha de Carnaval, que carrega o nome “Cachaça”, composta por Marinósio Trigueiros, em 1940 é apenas uma das tantas músicas que fazem sucesso, embalando bailes e desfiles de Carnaval.

Na folia, você até pode achar a melodia divertida. Contudo, nas ruas, a combinação de álcool, trânsito e Carnaval definitivamente não dá samba!

Além dos efeitos devastadores do álcool no organismo, ele gera trágicas consequências no trânsito. Veja o que é possível fazer para evitar acidentes.

Cuidados que a relação trânsito e Carnaval exigem

Embaladas pelo clima festivo, muitas pessoas fazem escolhas erradas, descuidam da própria segurança e colocam a vida de quem está a sua volta em risco. Isso, infelizmente, é muito comum quando “trânsito e Carnaval” estão associados.

Especialistas indicam que durante o feriadão, em média, os acidentes costumam aumentar em 30%. O que é um número bastante alarmante. Mais ainda, em um país onde acidentes de trânsito são a segunda causa de morte não natural evitável.

O Brasil registra cerca de 47 mil mortes no trânsito por ano e 400 mil pessoas ficam com algum tipo de sequela nestes acidentes, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde).

Os efeitos do álcool no organismo e suas consequências

Não é de hoje que as pessoas sabem que ingerir álcool e dirigir aumenta o risco de um acidente rodoviário. Contudo, muita gente ainda não tomou consciência disso e, acredita que, principalmente quando se é jovem, isso não vai acontecer com você.

Contudo, os números estão aí para provar o contrário. A violência no trânsito atinge, principalmente, uma população jovem e economicamente ativa, entre 15 e 29 anos.

Para frear essa realidade, o jargão tão popular, precisa valer na prática: se for dirigir, não beba!

Além de acidentes de trânsito, o álcool no organismo causa diversos males à saúde. Por isso, muito cuidado. Dores de cabeça, enjôos e vômitos são apenas a ponta do Iceberg. Todos esses sintomas podem trazer complicações, prolongando suas alterações no organismo até gerar problemas mais graves.  

As penalidades para o motorista que dirigir alcoolizado

Em uma colisão, a presença de 0,3 miligrama ou mais de álcool por litro de ar, é considerado pelo Código de Trânsito Brasileiro infração gravíssima, cabendo punições administrativas como multa e suspensão da habilitação, até processos criminais, caso haja feridos ou mortos no acidente.

Recentemente, mudanças na legislação, autorizaram considerar condição agravante para condutores que forem flagrados dirigindo sob o efeito de álcool (ou de outras substâncias psicoativas).

A Lei nº 13.546/2017 é um exemplo. Ela passa a valer em abril de 2018 e prevê, para o condutor que provocar acidentes com morte, lesões graves ou gravíssimas, pena de 5 a 8 anos de reclusão.  

A legislação também indica que, o bafômetro, vídeos, testes clínicos e testemunhas do policial ou de terceiros podem ser usados como provas de embriaguez ao volante.

O uso do celular e o desrespeito às leis também oferecem riscos

Além do consumo do álcool, associado a dupla “trânsito e Carnaval”, outros cuidados devem estar no radar daqueles que desejam ficar longe de acidentes.

O alerta destaca a proibição do uso do celular enquanto se dirige e o respeito às leis de trânsito. Lembrando que, dirigir manuseando o celular, é infração gravíssima e gera 7 pontos no prontuário do condutor.

O alerta se faz necessário, porque, assim como o álcool, o uso do celular ao volante também pode trazer consequências terríveis.

O comportamento já figura como a terceira causa de mortes no trânsito. Segundo a Associação Brasileira de Medicina do Tráfego, são cerca de 150 mortes por dia, no Brasil.

Especialistas da ABRAMET, para reforçar a periculosidade de se dividir a atenção entre o trânsito e o celular, citam algumas curiosidades interessantes, e que servem para alertar que a prática deve ser evitada.

Você sabia que, gastamos entre 8 e 9 segundos para atender a uma chamada telefônica?  Neste tempo, se você estiver ao volante e dirigindo a 80 km/h, vai percorrer quase duas quadras desatento ao celular.

Se estiver mandando uma mensagem de texto, a consequência é ainda mais desastrosa. Uma mensagem básica leva de 20 a 23 segundos para ser respondida. Se você estiver em trânsito, a 60 km/h, vai percorrer quase quatro quadras totalmente distraído.

Não encontrar um obstáculo à frente é quase impossível nas duas situações. Por isso, não se engane. Mantenha a atenção na via para evitar colocar vidas em risco e se precaver de acidentes.

Curtiu as dicas que levantamos? Essas são apenas algumas das atitudes que você pode tomar para que a mistura “Trânsito e Carnaval” seja mais pacífica.

Se você tiver interesse, pode completar sua leitura com outros artigos relacionados no Blog do Icetran. Educação no trânsito nunca é demais!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *