O que fazer em caso de pane seca

por | jan 29, 2020 | Manutenção | 2 Comentários

pane seca

Se você costuma andar “só com o cheiro” do combustível, está correndo um risco maior do que imagina. Saiba quais são os transtornos e consequências de ficar sem combustível no trânsito.

Ficar rodando com o carro na reserva, mesmo que isso só aconteça quando você já está perto de um posto para abastecer, não é uma atitude recomendável. Isso porque ela pode ter como consequência um problema que poderia ter sido evitado facilmente: a pane seca.

Se o combustível do tanque acabar, obviamente o veículo simplesmente vai parar de funcionar. Mas há outros fatores que podem criar uma situação de pane seca.

Problemas mecânicos que geram consumo excessivo, desatenção ou, um dos mais comuns, marcador com defeito. Não importa a causa. A pane seca é implacável, deixando seu carro totalmente imobilizado, sem ter nem mesmo a possibilidade de arrancar.

Mas  ter que empurrar o carro para um local seguro ou buscar combustível no posto mais próximo (muitas vezes não tão próximo…) não são os seus maiores problemas em caso de pane seca.

Ao continuar a leitura deste artigo, você saberá quais são as penalidades por este tipo de infração (sim, é uma infração!), o tipo de recipiente para transportar o combustível e reabastecer seu veículo, os problemas mecânicos causados e dicas de como evitar todos esses transtornos. Vamos lá?

Penalidades para a pane seca

A pane seca em si não é considerada uma infração. A penalidade só é aplicada quando, por consequência dela, o veículo coloca a segurança do trânsito em risco ou interrompe o fluxo de veículos.

Nestes casos, a penalidade para quem deixa o veículo parado na via por falta de combustível pesa no bolso do condutor.

O artigo 180 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) prevê uma multa de R$130,16 para esta que é considerada uma infração média. Ela também gera quatro pontos na CNH e o veículo será removido.

Mas por que infração média? Por que cabe ao condutor manter o controle sobre o abastecimento de seu veículo, verificando se a quantidade de combustível é suficiente para o trajeto desejado. Para isso são úteis o manual do veículo, o computador de bordo e/ou o marcador de combustível.

Se em caso de pane o condutor conseguir remover o veículo da via, em um declive ou “nos últimos suspiros”, não houve infração. Se for aplicada a penalidade nesses casos, cabe recurso.

Atenção: não empurre o carro nem tente fazê-lo pegar no tranco.

Com o veículo em local seguro, seguindo os procedimentos de praxe (sinalização com triângulo a pelo menos 30 metros e pisca alerta ligado) é hora de buscar o combustível para reabastecer.

É proibido transportar combustível em garrafas pet ou sacos plásticos

O transporte de combustível, por ser uma substância inflamável e potencialmente explosiva, exige cuidados especiais.

Além disso, o contato do produto com os olhos, a pele ou sua ingestão podem causar danos graves à saúde.

Por isso a lei determina, para a segurança do próprio consumidor, que o transporte de combustível em recipientes inadequados é proibido.

Mas quais são os recipientes adequados? São aqueles aprovados pelo INMETRO (Portaria nº 326/2006), que têm as seguintes características:

  • Boa base de apoio para ser colocado no chão, para que não possa ser derrubado facilmente;
  • Tampa capaz de vedá-lo, para evitar vazamentos;
  • Translúcido, para que se possa ver o nível de combustível inserido nele, evitando que transborde;
  • Boca com diâmetro maior do que o bico da bomba de combustível, para que não haja pressão na hora de enchê-lo.

Depois de comprar o combustível e retornar ao veículo para reabastecer, o problema estará resolvido? Infelizmente não é tão simples assim.

Problemas mecânicos causados pela pane seca

O abastecimento improvisado logo após uma pane seca só será suficiente para procurar a oficina mais próxima.

Isso porque a bomba de combustível precisa ser verificada, pois há grandes chances de ter sido danificada. Se for o caso, prepare-se para as despesas.

A bomba é o componente que leva o álcool ou gasolina do tanque para o sistema de injeção do veículo. Ela funciona imersa no combustível, a fim de que seja resfriada.

Sem combustível ela esquenta, e desta forma pode acabar queimando. Mas não é só a bomba que pode apresentar defeito depois de uma pane seca.

O sistema de injeção pode ser prejudicado por conta das impurezas que se depositam no fundo do tanque.

Isso pode acontecer mesmo sem que tenha havido a pane seca, bastando circular com o tanque constantemente na reserva para que as impurezas se acumulem no sistema ao longo do tempo.

Cansou só de ler? Não seria realmente bom evitar todo este transtorno? Então confira algumas dicas que irão te ajudar.

Dicas para evitar pane seca

Não parece óbvio? Para evitar pane seca, abasteça! Mas existem outras dicas úteis para reduzir ainda mais as chances de você ficar parado no trânsito.

  • Nunca utilize combustíveis “batizados”. Por mais difícil que seja identificar os postos irregulares, você pode se prevenir pedindo nota fiscal e evitando promoções muito atrativas.
  • Abasteça imediatamente sempre que a luz da reserva acender em seu painel. O nível de reserva é projetado apenas para situações de emergência.
  • No dia a dia, mantenha o tanque preenchido com pelo menos 1/4 da capacidade.
  • Evite deixar muito combustível em um carro que vai ficar parado por mais de três meses. Depois disso ele começa a secar, danificando componentes.
  • Crie o hábito de checar o nível de combustível toda vez que for ligar o carro para sair.
  • Tenha sempre em mãos os contatos de um mecânico 24h, seguro do veículo, assistência do fabricante ou guincho.

Tomando todos esses cuidados você não estará apenas evitando multas e pontos na carteira, mas também se poupará dos transtornos que mencionamos.

Para mais dicas de segurança no trânsito, continue acompanhando nosso blog. E quando precisar de um de nossos cursos, fique à vontade para saber mais a respeito em nosso site.