Envelopamento automotivo: um guia detalhado sobre a legislação e outras dicas

por | maio 30, 2018 | Legislação | 16 Comentários

Envelopamento automotivo: um guia detalhado sobre a legislação e outras dicasEntenda quais fatores você deve considerar antes de optar pelo envelopamento automotivo. Isso porque, algumas questões são proibidas por lei. Fique por dentro!

Recorrer ao envelopamento automotivo não é nenhuma novidade, principalmente no Brasil, onde os carros são, muitas vezes considerados, uma paixão nacional.

O desafio está na regulamentação da prática, que precisa cumprir com algumas exigências para ser permitida.

Se você tem interesse nesse acessório, mas também tem dúvidas sobre o que é permitido, saiba que você não está sozinho.

Nesse artigo, vamos explicar detalhadamente o que diz a legislação sobre esses adesivos. Sobretudo, para que você possa recorrer a técnica com mais segurança e evitar contratempos que possam te fazer perder dinheiro.

As motivações para envelopar o veículo

Muitas pessoas utilizam o envelopamento automotivo como estratégia de marketing. Sob esse ponto de vista adesivam os veículos para padronizar a frota com o visual da empresa. O que, para fins de divulgação pode ser bem interessante.

Mas, também há aqueles que têm como hobby a customização. Neste caso, a motivação está na estética do veículo, que acaba ganhando um toque de exclusividade.

Proteger a pintura original do veículo é também um dos motivos que levam ao envelopamento automotivo. Segundo especialistas, a técnica pode proteger o carro de pequenos arranhões e da radiação solar.

Independente do motivo, é certo dizer que a prática tem algumas regras para ser considerada legal.

Porém, antes de prosseguir com esses conceitos, vale aqui fazer uma observação.

É preciso deixar claro que adesivar um carro é bem diferente de envelopá-lo. O envelopamento em questão, se dá quando aplicamos uma película adesiva sobre todo o automóvel, e não apenas em parte dele como acontece com um adesivo.

Mas, até onde o envelopamento automotivo é permitido?

Como você pode ver o envelopamento automotivo permite que o proprietário personalize o veículo ao seu gosto. Com isso, caso ele enjoe ou queira proteger a pintura original tem essa opção. Depois, quando cansar dessa aparência, pode retirar sem problemas. No entanto, antes de tomar essa decisão é preciso prestar atenção em alguns detalhes.

Em primeiro lugar é importante ficar de olho na qualidade do material e na experiência do fornecedor. Caso contrário o adesivo pode oferecer danos à pintura do carro. Neste ponto, é importante também prestar atenção ao prazo de validade do adesivo, onde a duração é de 2 a 3 anos no adesivo nacional e de 5 anos no importado.

Outra questão essencial é a legalização da técnica. Como já falamos por aqui, ela é permitida, porém, desde que cumpridas com algumas exigências.

O carro pode ter até 50% da cor da sua área externa alterada

De acordo com o que regulamenta o Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) o carro pode ter até 50% da cor da sua área externa alterada. Ultrapassar esse padrão significa que mais da metade das características originais do veículo foram alteradas e, portanto, precisam ser registradas no seu documento de licenciamento.

Mas atenção, essa norma é exigida apenas para veículos que tiverem a cor original alterada. Ou seja, se você tem um carro preto e quiser envelopá-lo na cor preta, não vai precisar de autorização para circular. Ah, e um detalhe. Neste caso você pode escolher tanto um adesivo com brilho ou um fosco na mesma cor do seu veículo, já que o que consta no documento é a cor predominante e não se ele tem brilho ou é fosco.

O mesmo não se aplica para casos onde a cor do adesivo é diferente da original. Neste caso, se você tem um carro verde e quer envelopá-lo de preto, vai precisar solicitar autorização junto ao DETRAN local. Ademais, é preciso saber que os vidros não devem ser envelopados.

As penalidades para quem infringe a lei

Proprietários que não cumprirem o que exige a legislação cometem uma infração grave, e estão sujeitos à multa. Assim como, também podem ter o veículo retido para regularização.

Portanto, se quiser dar um toque pessoal e proteger a pintura do seu carro, o envelopamento automotivo pode ser um recurso bem bacana, desde que a alteração seja realizada de acordo com as normas legais.

Se você gostou do artigo sobre envelopamento automotivo e quer aprender mais sobre o trânsito e as suas questões legais, continue acompanhando nosso blog para ficar por dentro de tudo! Cadastre-se em nossa newsletter.