Manutenção automotiva: dicas para reduzir custos com oficina

por | mar 15, 2017 | Manutenção | 0 Comentários

Manutenção automotiva: dicas para reduzir custos com oficinaQuando o assunto é manutenção automotiva, a prevenção ainda é a melhor aliada. Fique atento a postura adotada no dia a dia para reduzir custos com oficina.

Manter uma relação de convivência duradoura e ao mesmo tempo econômica com seu veículo é o desejo de muita gente.

Para isso, alguns cuidados são essenciais. Além de seguir as orientações dadas pelas montadoras, a postura ao volante e alguns detalhes na manutenção são essenciais para reduzir custos com oficina.

Ao pensar em extrair o melhor custo benefício desta relação não podemos nos restringir ao estado de conservação do carro. Pensar na garantia da nossa segurança dentro dele é essencial. Uma vez que, ao manter tudo em ordem, as chances de um problema acontecer serão muito menores.

Reduzir custos com oficina começa com pequenas atitudes diárias

Alguns pontos simples que podemos citar neste caso são: Evitar o uso de combustíveis adulterados que prejudicam o motor; estacionar sempre em locais cobertos ou com sombra; tirar o excesso de poeira ao lavar o veículo; entre outras ações que podem parecer bobas, terão um peso enorme na conservação do veículo.

Outro fator importante para fazer seu carro durar mais tempo é saber empregar corretamente as funções de cada componente. Isso evitará a troca antecipada de peças ou de sistemas inteiros por conta do mau uso.

Parece complicado, mas na prática essas orientações são bem fáceis de seguir.

Se quiser saber como reduzir custos com oficina e fazer uma correta manutenção automotiva, fique atento às próximas dicas.

Mantenha uma revisão periódica nas rodas e pneus

No caso dos pneus a principal preocupação é com o desgaste.

Para evitá-lo, não rode com os pneus murchos. Confira a calibragem a cada 15 dias, verificando o valor indicado pela montadora no manual do veículo, na tampa do tanque ou em uma das portas. Isso também vale para o estepe.

Além disso não sobrecarregue o carro com excesso de peso. Com este cuidado você evita esforço desnecessário do motor e ainda ampliará a vida útil dos pneus.

Não esqueça de observar a indicação específica de pneus para seu veículo. Estas informações são impressas no corpo do pneu e são importantes para manutenção e prevenção de acidentes.

Já no caso das rodas, a indicação é que você faça o alinhamento e o balanceamento delas pelo menos a cada 10 mil quilômetros rodados. Mais uma atitude consciente que evitará desgastes excessivos e desiguais nos pneus do seu carro.

Seja cuidadoso com os freios do veículo

Evite frenagens bruscas e fora de hora porque elas comprometem o uso de todo o sistema de freios.

Além disso, dê uma checada, mensalmente, no líquido de freio para garantir que não haja vazamentos nos sistemas das bombas ou no próprio encanamento.

Fique atento ao sistema de arrefecimento

Inspecione o reservatório de água a fim de detectar vazamento ou irregularidades na superfície. Se perceber qualquer alteração faça o abastecimento. Porém, se isso acontecer com frequência, leve ao seu mecânico de confiança para uma avaliação.

O radiador deve ser mantido com o reservatório preenchido na medida certa. Com um líquido de arrefecimento próprio, permitindo que o motor trabalhe na temperatura ideal de funcionamento.

Substitua velas de ignição, filtros de ar e de combustível

Mais uma vez recorra ao manual do veículo. Ele indicará o tipo de óleo, os prazos e a quilometragem indicada para a troca do óleo e substituição dos filtros de ar.

O filtro de ar também precisa de manutenção e troca regulares. Mantê-lo limpo e em bom estado diminui o desgaste e evita a entrada de impurezas no sistema de combustão do motor do carro.

Trocar as velas de ignição e o filtro de combustível reduz desgastes e evita o acúmulo de impurezas, evitando forçar componentes específicos e delicados.

Observe as correias e o óleo do motor

Fique de olho nas correias presentes no alternador, no ventilador, direção hidráulica, e ar-condicionado, para conferir se não há diminuição nas espessuras e surgimento rachaduras. Caso haja, a troca será necessária.

Troque regularmente também o lubrificante do motor, no máximo a cada 10 mil quilômetros. Porém, se em 12 meses você não ultrapassar esta quilometragem, a troca será necessária mesmo assim, porque o óleo tem validade por conta das impurezas que ele absorve ao longo do tempo.

Verifique o nível da água da bateria

Mantenha o nível de água sempre acima das células, mantendo-as submersas. Além disso, verifique se não existe nenhum cabo danificado, certificando-se de que eles estejam sempre bem presos aos contatos. Se encontrar nestes cabos algum tipo de corrosão faça uma limpeza com uma escova de aço.

Viu como na prática a manutenção automotiva não é tão complicada?

São rotinas simples e de baixo custo, que se revelam ser um grande investimento se comparadas às intervenções de um dano futuro causado pela falta de manutenção.

Para complementar a sua leitura sobre manutenção preventiva, temos um outro artigo que aponta 6 dicas para ajudá-lo a economizar ainda mais com manutenção.

Agora é com você. Reduzir custos com oficina está a seu alcance, basta, para isso, fazer boas escolhas e insistir em pequenas atitudes para que elas se tornem um hábito. Pronto para começar?

0 comentários

Trackbacks/Pingbacks

  1. Sinais de que você precisa levar o carro para uma revisão urgente - […] Todo e qualquer alerta, mesmo que na maioria das vezes possa não indicar um problema grave, deve ser investigado…

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *